quinta-feira, maio 15, 2008

Visitando a casa - A lá Elvis

Esse dias das mães, resolvi impusivalmente visitar minha família , graças a TAM (propraganda gratis da TAM LINHAS AEREAS) rsrsrsr....peguei uma promoção e pimba lá estava eu de volta a terrinha....uma vez vi um filme do Elvis , no qual ele ia visitar os pais e antes ficou um tempão curtindo as praias do hawaii...pensei em imita-lo, não avisei ninguem da minha ida, então eu tracei alguns planos mentais...e o olhá que eu apenas imagenei de longe...aconteceu do jeito que tinha pensado....na ultima hora minha amiga Dragonflyer veio me pegar no aeroporto, fomos pra casa dela ver um filme, super-nacho (no qual eu estava pensando no avião, pq no meu mp3 estava lotado de musicas dos Mutantes, e tinha a música bat-macumba-lê-lê e toca no filme e no qual ela alugou sem querer...e estava lotado de Mutantes pq tive o privelégio de assistir o show deles na virada cultural que rolou em São Paulo) e entre meus planos loucos, constavam a de tocar gaita na praça do congresso e ficar perambulando sem destino pelo centro...que fiz até ficar entediado...Como não sou Elvis, cansei e fui para casa.

Nada mudou depois que eu parti (1 ano), tudo do mesmo jeito, não que eu ache ruim, mas esperava algo diferente...minha mãe não acreditou que eu estava ali em carne e osso, meus irmãos piraram quando me viram...a casa estava recebendo a invasão de parentes e amigos...fiquei feliz em vê-los todos por lá...mas não sou muito festeiro, apenas faço o social.
A ocasião da festa era o niver do meu pai, do meu irmão e dias das mães.
Fiquei feliz por esta lá presente, feliz por percebe por mais que eu corra o mundo, sempre vou ter um lugar para voltar se assim eu quiser.

Engraçado uma cena, como o mundo dá voltas...há 1 ano atrás rolou uma festa similar antes da minha partida, nela tinha uma garota que fiquei louco por ela, um ano depois, a mesma garota e nem nada pra ela....rsrsrsr...garotas não gostam de serem ignoradas...e lá estava ela por perto...a verdade é que não tinha o minimo interesse...apenas fui cordial e tratei de sumir.

Mils coisas aconteceram depois, pensando em um certo momento especial que nem acreditei que fosse acontecer...pensando que as vezes é duro sair de casa e voltar ao batente.

Agora estou aqui, refletindo, um ano se passou e eu continuo mesmo, do mesmo jeito e nas mesmas condições...será que valeu a pena? só o tempo vai dizer.
Fico com as palavras do poeta - Tudo vale a pena, quando a alma não é pequena!

Um comentário:

Selph disse...

Voltou e nem deu sinal de fumaça...

Mas é verdade, nada mudou, como aquela máxima do Leo Jaime.

abs!